João,

12.jpg

você tem uma nova mania –que, preciso confessar, eu gosto muito. Agora, toda vez que você fica sabendo que a gente vai receber convidados em casa para jantar (e isso acontece sempre), o assunto domina o seu dia. Você refresca a memória sobre os convidados, pergunta o que eles fazem, como nos conhecemos, qual será o menu, que horas eles chegam (essa pergunta se repete o dia inteiro). Recentemente, foi assim com o casal Bia e Mark. Foi assim com a Diana, amiga da sua mãe (que não veio jantar, infelizmente, mas gerou essa curiosidade sua). Foi assim com a sua madrinha, Babi. E, semana passada, o auge dessa sua nova mania (até aqui) aconteceu com a vinda dos seus tios AnaP e Busta. Eles são padrinhos da sua irmã –que, ao contrário de você, não conseguiu esperar até eles chegarem. Você estava eufórico. Feliz que iria recebê-los, vê-los, conversar um pouco, saber da vida deles, enfim. Essa sua mania (engraçado perceber) parece demais comigo. Eu gosto da casa cheia, gosto dos amigos lá dentro, não troco uma noite, um jantar, uma visita especial dessas, por nada. Assim como os nossos almoços de sábado. Aqueles, lotados, sempre, dos amores das nossas vidas. Essa sua nova mania, filho, parece com o que acredito. Que a gente precisa cultivar as relações honestas: as que recebemos e damos sem sentir, porque é natural que assim seja entre quem se ama. Esses amigos também são nossa família, sabe? A gente tem a obrigação de cultivar isso. Obrigado por já perceber.
Ah, tem mais uma coisa a registrar para que você, lá na frente, leia e saiba. Nessa noite do jantar com os padrinhos da sua irmã, você foi recebê-los na porta, abriu, deu as boas-vindas, sentou no sofá para dar início às conversas. E ao fazer sua primeira pergunta para o "tio Busta", aproveitou para falar que está pensando em reunir a família inteira no seu aniversário e, repentinamente, contou a ele sobre quem são os seus tios. E falou:
– Tio Busta. Tio Rô. Tio Fernando. Tio Lúcio. Tio Joaca. Esses são meus tios.
Você já aprendeu a abrir a porta da nossa casa para as pessoas certas, João. Obrigado. E parabéns.

 

Do seu pai,
Pedro.