Pedro,

há um ano, você resolveu fazer esse blog. A sua trincheira tão particular de amor pela família que está construindo com Lua, sua esposa. Há um ano, essa família tinha quatro membros. Você, Lua, João, Irene. Há três dias, chegou Teresa. Agora, o caminho é para cinco. Abre alas. Lá vão vocês. A estrada pode ser o mundo, a estrada pode ser a rua onde moram hoje, a estrada pode ser de terra, de asfalto, a estrada pode ser um céu para voar. Lá vão vocês. A cada filho, um renascimento seu, Pedro, um novo Pedro vindo ao mundo, ao se deparar com o maior amor possível – de novo e de novo e de novo. Três vezes. Em João, Irene e Teresa, você renasceu para ser melhor do que antes. E antes, para que não esqueça, o seu renascimento espiritual maior: casar com Lua. O reencontro eterno. Lá vão vocês. Lua sabe que você está escrevendo esse blog. Seus filhos ainda não sabem ler. Há um ano, quando resolveu escrever esse blog, Pedro, a sua trincheira tão particular de amor, você certamente não sabia que o caminho, essa estrada por onde vão, tem o melhor horizonte possível. O horizonte que aponta para dentro de vocês. A família que precisava ser a sua – para que o seu caminho, a sua estrada, o seu horizonte, a sua vida, tivessem sentido.

Do seu coração,

Pedro.