Irene,

está um silêncio tão grande aqui. Sinto o coração batucar na alma. Feito um pedido, uma súplica para vocês voltarem logo, que a casa assim, sem, não tem sentido. A casa assim, sem, não tem cheiro, não tem gosto, não tem luz, não tem nada. Nem consigo escrever, filha. Amanhã vocês voltam de viagem. Você me devolve as palavras. Vem. Volta.

Do seu pai,
Pedro