João,

persistir é um dom. Mas deixa eu aliviar uma angústia que o seu peito ainda nem sentiu. A gente, sabe-se lá a razão, recebe um aviso estridente quando se depara com alguém que irá nos acompanhar na jornada inteira. Pode ser uma reação química que nos acenda. Pode ser uma reação física que nos cole. Pode ser uma reação biológica que nos faça suar. Mas o aviso vem. Persistir com as pessoas certas, filho, é um dom. E desistir das pessoas erradas é uma arte.

Do seu pai,
Pedro