Filhos,

essa é a primeira carta aqui que não foi escrita por mim.
Leiam com atenção.
E sintam como é bom estar rodeado de pessoas especiais.
–––
"João, Irene e Teresa,
soube que agora vocês tem um quintal e, onde há quintal, plantas e crianças eu também quero estar. Porque onde há quintal, plantas e crianças nunca falta amor. E é só disso que o mundo precisa: amor e boas histórias. 
Então envio a porta da minha casinha aqui na Irlanda (um país distante, gelado, cheio de florestas, fazendas, ovelhinhas e re-ple-to de crianças, como vocês) para que me contem sobre as brincadeiras do quintal brasileiro, está bem?
Ah! Essa portinha que nos conecta é mágica, se fizerem carinho nela eu vou poder sentir daqui!
Muitos beijos,
Fada Bia

obs.: envio também um pacotinho de sementes com sorte. É para seus pais, em agradecimento à ponte de palavras que construíram e por me deixarem brincar. Plantem, cuidem e vejam a sorte crescer com vocês!"

[Carta e presente lindo enviados por Beatriz Dourado, a quem mal sabemos como começar a agradecer. Bia, muito amor, hoje e sempre, no seu caminho. Você vai sentir muito carinho daí, pode ter certeza.]