Teresa, Irene e João,

conheçam Tainá. Ela é o Brasil que deu certo, o lugar para onde devemos ir se aprendermos a voar. Nasceu em Araçuaí, tem 7 anos, canta feito um passarinho que habita a primavera eterna – estação propícia para quem usa as asas para distribuir pólen entre as flores. Está aqui em Barbacena, com mais vinte e seis crianças que dei a sorte de conhecer – com o esforço do trabalho. Dança, sorri, interpreta o seu próprio personagem. A menina feliz de um coral que cria harmonias humanas. Enquanto Tainá cantava hoje, pensava em vocês três, pedia ao deus no qual acredito, que é o deus do esforço e da sorte que os presenteasse com o dom do afeto – sou afeito a ele, já sabem. Esses dias em Barbacena me revelaram um afeto maior. Afeto de um por muitos, de um por um, de um por si próprio, de todos pelo lugar que se habita. Enquanto descobria o coral dos Meninos de Araçuaí, nos ensaios com o Grupo Ponto de Partida, descobria este lugar desconhecido em mim. Este lugar que quem tem asas habita. Esta primavera eterna. Vamos voltar em breve, filhos. Aqui tem pólen. Aqui tem Tainá. Vamos voar?

Do seu pai,
Pedro.

ps: esse fim de semana, dias 23 e 24, tem o espetáculo Presente de Vô, do Ponto de Partida+Meninos de Araçuaí, em Curitiba. Estaremos lá, filhos. Que alegria.