João,

está tudo tão esquisito. Cada um acredita que a sua própria verdade deve ser a verdade seguida pelos demais. Ontem, li um email de uma pessoa relativamente próxima, dizendo que não queria que o filho dela fosse de um jeito "x". Como se vocês, durante essa existência, fossem incapazes de trilhar seu(s) próprio(s) caminho(s).

No meio de tanta miopia, incomodado, embrulhado, envergonhado, insone, vim aqui apenas para pedir uma coisa: 


- Seja o que quiser.


Do seu pai,

Pedro.